Ir para o conteúdo [1]

Conheça iniciativas que têm impulsionado mulheres negras a seguirem carreira em tecnologia

Compartilhe: google-plus linkedin print
Foto de duas mulheres negras sentadas lado a lado, e uma delas aponta com o dedo indicador da mão direita para a tela de um laptop com vários códigos de programação

A pesquisa Quem Coda BR, feita pela PretaLab em parceria com a ThoughWorks, mostra que as mulheres negras ainda são sub-representadas no mercado de tecnologia. O estudo aponta que só 36,9% dos profissionais de empresas do setor são pessoas pretas ou pardas, e pelo recorte de gênero, os homens continuam sendo maioria, representando 68,3%.

Isso se repete também na academia. Cerca de 3% dos estudantes dos cursos de engenharia da computação são mulheres negras, segundo o Censo do Ensino Superior de 2019. A baixa presença também acontece em ciências da computação e jogos digitais.

Ainda assim, esse grupo foi o que mais cresceu na área de tecnologia da informação, de acordo com dados mais recentes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. A participação delas aumentou 0,6%, enquanto o número de mulheres brancas, homens negros e homens brancos caiu.

Para impulsionar a diversidade dentro do mercado, nos últimos anos têm surgido coletivos e grupos com o objetivo de atrair, capacitar e servir de rede de apoio e networking para que mais mulheres negras optem por uma formação e carreira em tecnologia. Muitos deles, inclusive, fazem parcerias com empresas para potencializarem as suas atuações e oferecerem bolsas de estudo para alunas que não possam pagar os cursos.

Confira algumas iniciativas

UX para Minas Pretas
A UX para Minas Pretas é feita por e para mulheres negras e o propósito é formar, empoderar, compartilhar conhecimento e criar uma rede de apoio para aquelas que desejam ingressar ou já atuam em tecnologia com foco em UX. O programa mantém um financiamento recorrente no Benfeitoria e divulga suas atividades em perfil no Instagram.

Vai na Web
Rede de alta tecnologia e impacto social que busca reduzir as desigualdades sociais, principalmente com relação a mulheres e jovens negros periféricos, contribuindo para o desenvolvimento da força de trabalho com foco no futuro. Saiba mais em https://www.vainaweb.com.br/.

PretaLab
O projeto é uma iniciativa do Olabi, organização social que trabalha para trazer diversidade em tecnologia e inovação, e tem como objetivo estimular a inclusão de meninas e mulheres negras no universo das novas tecnologias. O PretaLab disponibiliza em seu site um banco de talentos com perfis e contatos de profissionais negras de diversas partes do Brasil.

Com informações do Tilt.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *