Ir para o conteúdo [1]

Itaú Unibanco – Uma política específica para beneficiar gestantes e mães que retornam da licença-maternidade

Está em curso, na corporação, a implementação de uma política que pretende diminuir o número de demissões de mães que retornam da licença-maternidade ou que entram em licença-saúde.

Compartilhe:
Associe-se e tenha acesso ao case completo

Princípio 3: Saúde, segurança e fim da violência

 

Estabelecer iniciativas que garantam o bem-estar das mulheres, respeitando as diferenças de gênero, para que possam conciliar a vida profissional, familiar e pessoal.

Descrição da prática

As práticas, referentes a este princípio, para o gênero feminino focam, especialmente, a gestante e a mãe que retorna ao trabalho após a licença-maternidade, já que as mulheres correspondem a 59,8% do quadro de funcionários da empresa e são cerca de 300 gestantes/mães ao mês.

Implementada desde dezembro de 2015, a política garante alguns benefícios como a não exigência do cumprimento de metas nem a imposição de novos desafios a grávidas a partir do sexto mês de gestação e no primeiro mês de retorno ao trabalho, pós licença-maternidade.

Essas novas orientações têm sido trabalhadas em cada setor da corporação para que antigas práticas sejam substituídas por novos encaminhamentos e possam atender aos objetivos da política.