Ir para o conteúdo [1]

AVON – Workshops e pesquisas destacam papel do homem na equidade de gênero

Compartilhe:
Associe-se e tenha acesso ao case completo

Além do curso obrigatório (por lei) que os papais fazem para serem elegíveis à extensão da licença paternidade, que é uma iniciativa já prevista dentro do programa Nascer Bem, a Avon decidiu – por iniciativa da Rede pela Diversidade da Avon e do Programa Viva Bem – oferecer uma nova atividade para discutir o tema Paternidade Ativa e, por meio de conversas informais e facilitada por especialistas, debater sobre esse importante momento para a família e com implicações cruciais para equidade de gênero.

A necessidade de abordar o tema envolveu mais do que um curso para ajudar os pais nesse novo momento, mas também, encorajou a reflexão do gap na jornada do homem e da mulher em casa. Por isso, rodas de conversas foram organizadas em cada uma das 4 unidades da Avon e contaram com cerca de 200 pais participantes, entre novembro e dezembro de 2017.

O Instituto Avon também tem colaborado com o diálogo para o empoderamento da mulher e na inclusão dos homens neste cenário. Uma das ferramentas para este fim tem sido a produção de conhecimento por meio de pesquisas. Em 2017, a instituição lançou o estudo “Violência Doméstica, Violência na Gravidez e Transmissão entre Gerações”, que entrevistou 10.000 mulheres no Nordeste. O levantamento aponta o impacto da violência doméstica no comportamento masculino: 4 em casa 10 mulheres cujo parceiro cresceu em um lar violento declaram ter sido agredidas ao longo da vida.

A pequisa “Voz das Redes: o que elas podem fazer pelo enfrentamento das violências contra as mulheres” divulgada em 2018 é outro conteúdo que mostra como os homens estão inseridos nessa discussão. O levantamento mostra uma dura realidade em que 61% dos homens que se manifestam online sobre o tema utilizam um tom agressivo/desqualificador frente à violência sofrida pela mulher.