Ir para o conteúdo [1]

Índice destaca as empresas que mais avançam para aumentar a inclusão racial no Brasil

Compartilhe: google-plus linkedin print
Foto posada de uma mulher negra em um escritório. Ela está com os braços cruzados e sorri.

Novembro é o mês em que se celebra o Dia Nacional da Consciência Negra e traz consigo a urgência de quebrar barreiras sociais e econômicas que contribuem para a desigualdade racial. Dentro do mercado corporativo, a falta de representatividade e a disparidade salarial são gritantes. É o que aponta a 63ª edição da Pesquisa Salarial feita pela Catho.

De acordo com o levantamento, profissionais negros recebem, ainda hoje, até 34,15% a menos do que trabalhadores brancos em todos os níveis hierárquicos e de escolaridade. Em cargos de diretoria, a diferença pode chegar a 29,5%. A desigualdade é ainda mais discrepante quando se faz o recorte pelo menos nível de escolaridade. As pessoas negras com doutorado, por exemplo, chegam a receber menos de 34,1%. Já com mestrado é menos 29%, MBA 22,1%, formação superior 16,7%, ensino médio 5,6% e fundamental 4,8%.

A participação de mulheres e homens negros nas empresas brasileiras é de 29,6%, e vai para 15,8% nos cargos de gerência e supervisão. No alto escalão, o que inclui Conselhos de Administração, a taxa despenca para 4,1%. Os dados fazem parte do Índice de Equidade Racial Empresarial (EIRE-2021) divulgados pela Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial.

“Mesmo que o cenário da inclusão ainda seja desafiador, cresce a preocupação do setor privado em adotar medidas para reverter esse erro histórico”, diz Raphael Vicente, coordenador da Iniciativa.

Com objetivo trazer exemplos inspiradores para o universo corporativo, a instituição reconheceu na última quinta-feira, 19 de novembro, durante o Fórum Internacional pela Equidade, as “Empresas Destaque” dentro da pauta étnico-racial. São elas: Vivo, EY, PwC, BASF e Corteva Agriscience do Brasil.

Para a seleção foram avaliados critérios como censo de funcionários – governança dos dados do quadro de colaboradores; conscientização – ações para educar as equipes e mercado sobre a agenda; recrutamento e seleção – métodos para atrair pessoas negras; capacitação – preparação do talento; ascensão – políticas para a promoção desses profissionais; e publicidade e engajamento – medidas para envolver a cadeia de valor na adoção de boas práticas.

Conheça as empresas destaques em cada um dos pilares do EIRE 2021

Recenseamento Empresarial
GPA, Bayer, Schneider Eletric Brasil, Vivo e Unilever

Conscientização
Vivo, PwC, Corteva Agriscience, KPMG e Procter & Gamble

Recrutamento
​​Banco Bradesco, Corteva Agriscience, Procter & Gamble, Ambev, RX, PwC, EY e BASF

Capacitação
Banco Bradesco, Corteva Agriscience, KPMG, Procter & Gamble e VIVO

Ascensão
VIVO, EY, Santander, Corteva Agriscience e PwC

Publicidade e Engajamento
Unilever, Ambev, BASF, Banco Bradesco e VIVO

Como sua empresa pode avançar na pauta da equidade racial e de gênero

Baixe o e-book Dicas e orientações para empresas acelerarem atração e desenvolvimento de mulheres negras do Movimento Mulher 360. Ouça também o terceiro episódio do MM360Cast e conheça as ações que companhias como Vivo e Santander promovem para aumentar a presença de pessoas negras no mercado de trabalho.

Com informações da IstoÉ Dinheiro e do B9.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *