Ir para o conteúdo [1]

Plataforma divulga dados sobre diversidade e igualdade no mercado de trabalho brasileiro

Compartilhe:

O Observatório da Diversidade e da Igualdade de Oportunidades no Trabalho, lançado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT), já está disponível para consulta. A plataforma, desenvolvida no âmbito da iniciativa SmartLab de Trabalho Decente, traz informações sobre o mercado de trabalho por estados e municípios brasileiros com recorte de gênero, raça e interseccionalidade.

Dentro do setor formal da economia, a disparidade salarial entre gêneros é maior nos estados de São Paulo (em média R$ 690 a mais para os homens), Rio de Janeiro (R$ 660 a mais, em média) e Santa Catarina (R$ 560). Quando se analisa considerando os cargos de diretoria com carteira assinada, o gap é maior também em São Paulo onde eles recebem cerca de R$ 14 mil mensais a mais do que elas. Os locais em que essa diferença é menor são: Distrito Federal (R$ 33, em média), Pará (R$ 66), Alagoas (R$ 88) e Rio Grande do Norte (os homens recebem R$ 779 a mais do que as mulheres).

Ainda dentro do recorte de diversidade e igualdade de oportunidades no mercado de trabalho, a plataforma trará, em breve, informações específicas sobre migrantes, gerações de jovens e pessoas de idade avançada, diversidade religiosa e acesso à saúde.

A iniciativa conta com o apoio do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), da Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas e da ONU Mulheres.

Acesse o site e confira.