Ir para o conteúdo [1]

Empresas e entidades lançam coalizão pelo fim da violência contra meninas e mulheres

Compartilhe:
Ana Carolina Querino, representante interina da ONU Mulheres Brasil, com José Vicente Marino, presidente da Avon. (Crédito: Divulgação)

Foi lançada nesta quinta-feira, 29 de agosto, em São Paulo, a Coalizão Empresarial pelo Fim da Violência contra as Mulheres. A cerimônia que contou com a assinatura da carta de fundação da aliança e os próximos passos do plano de trabalho reuniu mais de 100 representantes de empresas – incluindo associadas do Movimento Mulher 360.

A iniciativa colaborativa de mobilização, coordenada pela Avon, Instituto Avon e ONU Mulheres com o apoio técnico da Fundação Dom Cabral, tem como objetivo engajar os líderes do setor privado e garantir o compromisso voluntário pelo fim da violência contra meninas e mulheres. O Movimento Mulher 360 também apoia a iniciativa.

As mulheres representam 60% da força de trabalho no país. Ao enfrentarem violência, elas vivenciam maior instabilidade profissional, tem sua produtividade e poder decisório prejudicados, maior nível de estresse e um salário-hora menor, quando comparado com outras mulheres que não sofrem violência. Uma em cada cinco faltas no trabalho, no mundo, é motivada por agressões ocorridas em casa.

Diante do reconhecimento de que as desigualdades enfrentadas pelas mulheres demandam esforços dentro e fora das empresas, a ação vai atuar alinhada com os Princípios de Empoderamento das Mulheres, da ONU Mulheres e do Pacto Global, e em contribuição à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, especialmente com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 5 – Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres.

“Nossa intenção é promover a participação massiva dos líderes para firmar uma aliança, com planos efetivos e concretos para o enfrentamento à violência contra mulheres e meninas, que vai desde o treinamento, capacitação e comunicação para conscientização interna até a garantia de um ambiente de trabalho seguro para que funcionárias, vítimas de violência, tenham acesso ao suporte e apoio necessários dentro ou fora das dependências da empresa. Estamos nos valendo do poder de mudança das empresas e de Executivos para coordenar esforços neste tema e transformar vidas”, comenta José Vicente Marino, presidente da Avon.

Representante interina da ONU Mulheres Brasil, Ana Carolina Querino, acredita que a iniciativa é importante para o país, uma das nações com altos índices de violência contra as mulheres e marcadamente desigual nas questões de gênero e raça.

“A coalizão tem o potencial de trazer o debate e ações concretas de prevenção às violências contra as mulheres para dentro das empresas, com um olhar que pode incluir não somente uma autoavaliação sobre as políticas empresariais de enfrentamento à violência e ao assédio no local de trabalho, mas também o investimento na transformação da cultura organizacional em busca de espaços mais seguros e equitativos para as mulheres”, afirma Ana Carolina Querino.

As mais de 100 empresas convidadas vão desde signatárias dos WEP’s Brasil, parte dos grupos Aliança pelo Empoderamento da Mulher e Movimento Mulher 360, às organizações de pequeno à grande porte, nacionais e multinacionais, dos setores de comunicação, beleza e cosméticos, tecnologia, varejo e associações/entidades de setor.

Com informações de assessoria de imprensa.