Ir para o conteúdo [1]

Violência contra mulher é tema de cartilha do Ministério Público do Trabalho

Compartilhe:

O Ministério Público do Trabalho (MPT), por meio do GT de Gênero da Coordenaria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidades e Eliminação da Discriminação no Trabalho (Coordigualdade), criou uma cartilha para dar visibilidade aos tipos de violências vividas pelas mulheres no ambiente corporativo.

O documento pretende contribuir para evidenciar a ocorrência de assédio moral e sexual,, divisão sexual e a cultura do estupro nas empresas,além de explicar termos criados para identificar as desigualdades de gênero como gashlighting, mansplaining, manterrupting e bropriating.

Segundo dados do MPT, durante a vida, 30% das mulheres sofrem algum tipo de violência. Somente no último ano, foram mais de 300 denúncias de assédio sexual contra a mulher no trabalho. Para especialistas, o número de casos de violência por discriminação de gênero só não é maior por vergonha e medo das vítimas em relatarem os casos.

Para reverter esse cenário, o guia incentiva a implementação de códigos, convenções coletivas e programas de igualdade de gênero e combate à discriminação no mercado corporativo.

Clique aqui para ler a cartilha na íntegra.