Ir para o conteúdo [1]

Pesquisa mostra comportamento do brasileiro quando o assunto é diversidade

Compartilhe:

Hoje, no Google e no YouTube, busca-se quatro vezes mais sobre empoderamento do que em 2012. O dado é um dos destaques da pesquisa Dossiê BrandLab – A busca por diversidade no Brasil, lançada em outubro deste ano pelo Google BrandLab São Paulo.

O estudo conta com a análise de milhões de dados da busca do Google e do YouTube para entender como o brasileiro se comporta quando o assunto é diversidade. O Dossiê BrandLab traz um panorama do que o brasileiro tem buscado sobre o tema, os maiores porta-vozes do assunto YouTube e marcas que acertaram na hora de entrar nesta conversa. A Avon, associada do Movimento Mulher 360, é uma das empresas mencionadas, com a campanha #EAíTaPronta?.

A pesquisa mostra a importância da internet ao dar voz, diversificar e ampliar o tema. A discussão sobre diversidade no Brasil tornou-se plural (sexual, religiosa, cultural, étnica, social, entre outras) e importante pauta política. Em 2017, as buscas pelo tema cresceram 30% e, hoje, busca-se duas vezes mais por assuntos ligados à diversidade do que em 2012.

Segundo a publicação, houve uma mudança de comportamento. Os pesquisadores cruzaram os dados da busca e do YouTube com informações de geolocalização para entender como os interesses variam de estado para estado e criaram um mapa da diversidade no País.

Confira alguns destaques da pesquisa:

  • Em 2017, feminismo alcançou, em volume de busca, patamares equivalentes aos de racismo, que sempre foi o tema mais discutido no Brasil dentro de diversidade;
  • O estado de São Paulo buscou 30% mais sobre questões LGBTQI+ do que a média nacional, em 2016;
  • O crescimento médio de visualizações no YouTube de conteúdos sobre Homofobia, LGBTQI+, Feminismo e Racismo foi de 260% nos primeiros seis meses do ano;
  • Os temas que mais resultam em buscas no Brasil, hoje, são: Feminismo, Racismo e LGBTQI+. São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Espírito Santo são alguns dos estados que buscam acima da média;
  • Rio de Janeiro e Espírito Santo lideram as buscas por Feminismo.