Ir para o conteúdo [1]
Você está em:

Histórico

O tema da equidade de gênero vêm avançando muito no Brasil e no mundo. É crescente na sociedade brasileira, a consolidação e o reconhecimento do papel da mulher dentro das famílias, no mercado de trabalho e na sociedade.

No entanto, ainda existem muitos desafios relacionados à questão de gênero a serem vencidos dentro e fora das empresas. Falamos, aqui, da conquista de direitos básicos (como liquidar a violência e o assédio), de condições mais igualitárias, como a inexistência de diferença salarial entre homens e mulheres com a mesma função e o estímulo para que ocupem cargos de liderança.

Por isso, todos os setores da economia devem contribuir com o empoderamento feminino, o que significa possibilitar que as mulheres desenvolvam plenamente suas capacidades, dar condições para que elas tenham as mesmas oportunidades de trabalho e assegurar a igualdade em direitos sociais e econômicos. Isto é, garantir as condições necessárias para que assumam o controle de suas vidas.

Essa igualdade de tratamento de mulheres e homens é um dos fatores básicos que constituem economias fortes, sociedades mais estáveis, justas e com melhor qualidade de vida para todos os cidadãos. Além disso, a equidade também funciona como catalisador para o desenvolvimento de organizações, tanto na esfera pública quanto privada.

Nos últimos anos, diversas empresas vêm buscando promover a diversidade e a ampliar a participação feminina no ambiente corporativo. Para potencializar e acelerar esta trajetória, o Movimento Mulher 360 foi criado, em 2011, a partir de uma iniciativa do Wallmart.

Em 2015, o Movimento ganhou força e se tornou uma associação independente sem fins lucrativos, formada através da união entre organizações protagonistas do cenário empresarial brasileiro, comprometidas em promover a equidade de gênero e o aumento da participação feminina no ambiente corporativo, nas comunidades e na cadeia de valor.

São sócio-fundadoras dessa associação as seguintes empresas: Bombril, Cargill, CocaCola, DelRio, Diageo, Johnson&Johnson, Natura, Nestlé, Pepsico, Santander, Unilever e Walmart.

A missão do MM360

Contribuir para o empoderamento econômico da mulher brasileira em uma visão 360 graus, através do fomento, da sistematização e da difusão de avanços nas políticas e nas práticas empresariais e do engajamento da comunidade empresarial brasileira e da sociedade em geral.

Visão

Ser um Centro de Referência em Empoderamento Econômico Feminino para empresas, organizações sociais e para a sociedade, colaborando com a construção de um país mais evoluído a respeito da equidade de gênero.

Valores

  • Compromisso com resultados: Construímos uma gestão baseada na busca do progresso contínuo da efetividade de nossas iniciativas com o objetivo de criar uma comunidade empresarial mais justa e equilibrada em relação à mulher
  • Parceria: Atuamos em rede, articulamos, ativamos e organizamos conhecimento, práticas e a inteligência coletiva das empresas associadas em prol dos avanços de todos
  • Respeito: Mantemos uma atitude prudente que norteia nosso crescimento com espírito de autocrítica e consciência de nossas virtudes e fraquezas.
  • Confiança: Estabelecemos relações baseadas na ética e na consideração pessoal e profissional.
  • Integridade: Assumimos uma conduta transparente, coerente, justa e responsável

Onde queremos chegar?

A Associação Movimento Mulher 360, como uma iniciativa empresarial, visa engajar as empresas em ações concretas com seu público interno, em um primeiro momento, e, gradualmente, expandir essa atuação para mulheres nas comunidades e cadeia de suprimentos. Em longo prazo, esperamos que o conjunto dessas ações possam promover mudanças na sociedade de uma forma mais ampla.

ATUAÇÃO GRADUAL FOCADA EM PÚBLICOS

MULHERES NA SOCIEDADE BRASILEIRA

hierarquia-mulheres-mm360

Por que isso é essencial também para os negócios das empresas?

As empresas do futuro serão as que conseguirem atrair e reter a mão de obra feminina. Mulheres empoderadas economicamente contribuem para:

  • O fortalecimento do setor produtivo;
  • O desenvolvimento de comércios mais justos em novos mercados;
  • Aumento na produtividade dos empregados;
  • Crescimento na habilidade de atrair talentos;
  • Melhoria do relacionamento com governos e órgãos reguladores;
  • Progressos nos resultados e na performance financeira.