Ir para o conteúdo [1]

Trabalho doméstico não remunerado ainda é visto como um “problema de mulheres”

Compartilhe:

De acordo com uma pesquisa realizada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT, 2016), “as mulheres realizam pelo menos duas vezes e meia mais trabalho doméstico não remunerado e trabalho relacionado a cuidados do que os homens”.

Para desenvolver a discussão sobre o assunto, em 2016, foi divulgado o relatório “Situação da Paternidade no Brasil”, do Instituto Promundo, que reúne esses e outros indicadores sobre a divisão de trabalho e cuidados com os filhos e com a casa no País.

A pesquisa afirma que o trabalho doméstico não remunerado – aquele feito na própria casa – ainda é visto como um “problema de mulheres”. Delegar essas tarefas exclusivamente ao sexo feminino, diz o relatório, afeta não apenas as mulheres e a conquista da igualdade de gênero, como também as crianças, os homens e a economia dos países.

“Quando os homens se responsabilizam de forma igualitária pelo trabalho doméstico de cuidado, estes não remunerados, abrem espaço para que as mulheres também desenvolvam habilidades profissionais que são pré-requisitos fundamentais para atender as demandas do mercado de trabalho”, diz a publicação.

Abaixo, confira alguns destaques do relatório:

1 – Mulheres gastam mais horas em cuidados com a casa e filhos
Segundo o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), mulheres com filhos dedicam, em média, 25,9 horas semanais a cuidados com a casa. Homens com filhos dedicam apenas 15,5 horas. Os dados são da pesquisa “Mulher e trabalho: avanços e continuidades”, de 2010. No mundo, a situação se repete. Segundo levantamento feito pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), mulheres gastam, por dia, 2h30 com filhos e tarefas domésticas. Homens, 1h20.

2 – Menos da metade dos homens se dedica a tarefas domésticas
Segundo a PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) de 2013, no Brasil, 46% dos homens adultos realizam trabalho doméstico. Esse número é de 88% entre as mulheres. Quando são analisados os dados relacionados ao trabalho pago, a situação se inverte: pouco mais da metade das mulheres adultas do País (52%) realiza trabalho pago, enquanto 77% dos homens adultos estão envolvidos em atividades remuneradas.

3 – Na visão dos homens, tarefas domésticas ainda são femininas
O Instituto Promundo, no relatório, reuniu resultados de pesquisas que buscaram mensurar a percepção dos homens sobre os trabalhos domésticos. Confira alguns dos resultados:

– 54% concordam totalmente que “O papel mais importante da mulher é cuidar da casa e cozinhar para a sua família” (BARKER y AGUAYO, 2012);

– 43% concordam que “O homem pode até ajudar, mas quem deve ser responsável por cuidar da casa é a mulher” (INSTITUTO AVON/ DATA POPULAR, 201342);

– 89% consideram “Inaceitável que a mulher não mantenha a casa em ordem”; (INSTITUTO AVON/ DATA POPULAR, 2013).

Com informações do Nexo e do relatório “Situação da Paternidade no Brasil”, do Instituto Promundo.