Ir para o conteúdo [1]

Confira 7 campanhas criativas sobre empoderamento feminino em 2015

Compartilhe:

empoderamento feminino foi bastante discutido ao longo de 2015, tanto no online quanto no offline. Não faltaram debates em redes sociais, cinema, TV e revistas. E, assim, a publicidade também entrou na onda.

Mas será que toda as marcas precisam e têm condições de abordar o tema? Em entrevista à EXAME, Viviane Duarte, jornalista e fundadora da plataforma Plano Feminino, defende que é preciso ter uma proposta verdadeira de empoderamento, que leve em consideração o poder das mulheres como consumidoras.

Veja alguns exemplos de campanhas que entenderam o recado da “primavera das mulheres” e se inspiraram no tema em 2015:

Always

A Always trabalhou a campanha “Like a Girl”, com o filme “Unstoppable”, onde meninas destroem estereótipos de gênero.

Barbie

Com o slogan “Você pode ser o que você quiser”, a Mattel usou a boneca Barbie para incentivar meninas a serem o que elas quiserem.

Revista Elle

Ela lançou a campanha global “#MoreWoman”, que tem o objetivo de incentivar mulheres a ocuparem cargos de poder. A ideia foi denunciar o fato de que elas são a minoria entre os poderosos, retirando os homens de fotos e deixando apenas as mulheres.

Quem disse, Berenice?

A marca de cosméticos resolveu riscar os “nãos” que a sociedade impõe em muitos momentos da vida das mulheres, de acordo com padrões.

Avon

A Avon foi outra marca que saiu da sua zona de conforto, com a campanha “Beleza que faz sentido”. Ela faz parte do reposicionamento global, que inclui apoio a pesquisas sobre violência de gênero e incentivo à independência da mulher.

Care Norway

A instituição norueguesa Care Norway criou a campanha “#DearDaddy”. O filme traz uma garota deixando um recado ao seu pai, antes mesmo de nascer, sobre os perigos que ela vai correr simplesmente por ser mulher. O objetivo foi levantar a discussão de como a forma como os meninos são criados influencia nas agressões de gênero.

ONG Equality Now

Com o objetivo de mostrar que a sociedade ainda pensa de forma muito machista, a ONG Equality Now convidou meninas para analisar algumas manchetes e dizer de qual ano elas eram: 1915 ou 2015. A campanha foi criada para promover o filme “Suffragette”, que narra a luta de mulheres britânicas pelo direito ao voto.

Fonte: EXAME